Grupo Explorador 17

Mística

A mística da II Secção está inspirada, por um lado, nesse grande personagem, tantas vezes descrito por B.P., no «Escutismo para Rapazes» e em tantos outros escritos - o Explorador, por outro lado, nos Heróis do Povo de Deus. Ao escolhermos estes  personagens como pedras angulares da mística da II Secção tivemos subjacente as necessidades e aspirações dos jovens de hoje e os objectivos educativos do Escutismo e da Igreja.

 O Explorador

 Antes de tudo, este personagem é um homem bom que aprendeu, enquanto jovem, a conhecer e a amar a Natureza, a ser auto-disciplina e auto-suficiente, a adaptar-se ao meio ambiente em que vive, a respeitar e a viver com as outras pessoas.

Parece-nos de uma riqueza imensurável a forma como este conceito de explorador nos é apresentado por B.P., pois permite-nos de uma forma simples e clara, verificar que o pré-adolescente não é um produto em si, isto é, não é um homem em miniatura, mas sim algo em construção, e que a adolescência é um momento importante na formação da personalidade do futuro Homem.

 

Tal como o velho explorador, o nosso jovem deve aprender, num mundo fortemente marcado por desigualdades de toda a ordem - sociais, económicas, religiosas, raciais, políticas, etc... - a viver com os outros, a respeitar, a amar e a proteger a Natureza - riqueza da qual somos, diariamente, despojados pelas agressões constantes do "progresso" dos nossos dias - e a ver nela a obra do Criador.

Este personagem, portador de valores profundamente actuais como a solidariedade, a criatividade e o respeito pela Natureza, permite-nos promover uma educação orientada tanto por valores actuais e universais, como por um modelo que se adapte ás necessidades dos dias de hoje e que permitem projectar a imagem do Homem no futuro.

Além disso é o meio ambiente em que o Explorador vive que permite transformar todo o acto educativo, proposto para II Secção, num espaço de aventura onde o pré-adolescente é colocado perante desafios que, graças a um esforço pessoal e comunitário, vai superando, adquirindo cada vez mais novas competências e realizando novas "performances".

É aliás com base neste imaginário de aventura e sentido de cooperação que se vai desenvolver toda a actividade da II Secção, proporcionando assim novas vivências e novas acções, a descoberta de novos mundos e o desenvolvimento de capacidades para a auto-suficiência.

in Metodologia Educativa da IIª Secção

 

Voltar ao Topo